quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Amor

Amor não dói, é sublime.
Não é química, é sentimento puro.
Não diminui; cresce, soma e multiplica.
De tão leve, não há quem explique que não se complique.
É mais fácil dizer o que não é...
Não é doença,
não é apego,
não é egoísmo,
não é desespero.
Não complica; simplifica e qualifica.
Já que o vermelho é a cor da paixão, a do amor poderia ser branca?