segunda-feira, 20 de abril de 2015

El Callafate


Faz alguns anos. Resolvi tirar férias e conhecer um pouco mais Argentina. Inicialmente, minha pretensão era ir até Uruguaiana, terra natal do meu Babo, e entrar por Libres. Queria dançar tango em Buenos Aires.

Com essa ideia, convidei meu pai, que, de pronto aceitou. Então passamos estudar o roteiro da viagem, pesquisar sobre melhores trajetos, hospedagem, alimentação, etc.

Eu em Torres, ele em Porto Alegre. Nos falávamos aos finais de semana, pois, durante a semana, trabalhava no Foro.

Num desses finais de semana, o pai chegou pra mim e perguntou o que eu achava de conhecer a patagônia. Eu já havia lido sobre a região e achei uma boa.

Então, decidimos estender nossa até então “pequena” e modesta viagem até o fim do mundo – Ushuaia, Terra do Fogo, Argentina.

Se tem uma coisa que não me arrependo e de ter dito sim, para esta que muitos chamaram de indiada.

Nos 16 mil km que percorri com meu pai, vivemos de tudo, muitos momentos bons e poucos imprevistos. Normais, tendo em vista a extensão da viagem. Por onde passamos fomos bem recepcionados e fizemos algumas amizades que levaremos para vida toda, como é o caso de uma família italiana que conhecemos no El Callafate.

Agora, me surge a oportunidade de revisitar o local, não pensei duas vezes antes de dizer sim novamente.

El Callafate, em breve, se tudo der certo, estarei aí novamente.